Home Notícias Artigos Crónicas Castas Clube Loja Cursos Links
  Inscreva-se aqui!
 
  Login
 
  Loja
 
Compras 0 items
 
  Guia
   
Introdução
Garrafeiras
Lojas Gourmet
Glossário Gourmet
Lições do Vinho
 
  Leituras
   
Livros
 
  Receitas & Vinhos
   
Sugestões
 
  Subscrever Newsletter
 
 
 
 
  Artigos
De garrafa a tiracolo
27 de Outubro de 2011, por Elisabete Maia
 

O conceito começou a dar os primeiros passos em Portugal em 2004
Foto: mariajoaodealmeida.com
 
 
Numa época em a crise se instalou e que muitos portugueses evitam gastar dinheiro em restaurantes, o sistema Bring Your Own Bottle parece uma boa solução para não deixar escapar a clientela.
 
 
Como é seu hábito, no dia em que combinou jantar com as amigas, Maria chegou atrasada. Mas desta vez, e apesar de ter sido ela a marcar o restaurante, o atraso teve uma boa explicação. Ainda ofegante da correria, sentou-se e retirou de um saco duas garrafas de vinho: «Meninas, fui comprar agora mesmo estes vinhos porque estamos num restaurante BYOB, que significa Bring Your Own Bottle». Em português, a tradução literal desta expressão é: “traz a tua própria garrafa”, uma ideia bastante recorrente em Inglaterra, nos Estados Unidos da América e que em Portugal começou a dar os primeiros passos em 2004. Ou seja, o cliente pode trazer um ou mais vinhos de casa, pagando apenas a ‘taxa de saca-rolhas’. Mas esta taxa não é fixa (pode ir dos 3 aos 15 euros, dependendo do restaurante) e há mesmo restaurantes que não a cobram.
 

A taxa de saca-rolhas é de 6 euros no Eleven
Foto: es.event1001.com

 
Apesar de já haver vários restaurantes a aderir a este sistema, ainda continua a ser pouco usual os clientes aparecerem de garrafa a tiracolo. Por vergonha, comodismo ou mesmo por falta de informação, a verdade é que o conceito existe mas ainda não está enraizado nossa cultura nem nos nossos hábitos. No Eleven, por exemplo, há clientes que aparecem com garrafas apenas uma vez ou duas por ano, contou ao portal mariajoaodealmeida.clix.pt, o chefe de sala, Pedro Marques. «Não há muita gente a aderir ao conceito, talvez devido ao género de clientes que vêm até cá. A maioria são estrangeiros». Quanto à “taxa de saca-rolhas” o Eleven leva 6 euros.
 

O restaurante Quarenta e Quatro tem o conceito Byob a funcionar há três anos
Foto: projecto28.blogspot.com
 
O mesmo discurso teve Paulo Silva, gerente do restaurante Quarenta e Quatro, em Matosinhos. «Embora o Quarenta e Quatro tenha este conceito a funcionar há três anos, a verdade é que o serviço não tem grande expressão», adiantou o responsável. A taxa aqui praticada é de 5 euros. Ainda no Porto, o restaurante Shis vai mais longe e apresenta o conceito BYOB descrito na carta de vinhos, tendo como parceiros vários produtores de vinho, e o serviço taxado a 6 euros: «Os produtores vêm até ao Shis com os seus clientes e é aqui que lhes dão a provar os seus vinhos», informou ao nosso portal João Geraldes, chefe de sala daquele restaurante portuense que implementou este conceito há mais de um ano. Situação idêntica relatou o dono do restaurante “Luar de Janeiro” em Évora, cuja taxa aplicada é de 7,5 euros. De acordo com Paulo Prates, «só produtores ou distribuidores têm como prática trazer garrafas. O cliente comum nunca trouxe.»
 

São os produtores que aderem mais ao conceito no Shis
Foto: sairmais.com
 
 
 
Conceito de sucesso
Se de norte a sul do país a maioria dos restaurantes não parece praticar este conceito com regularidade, existem outros que, em contraposição praticam e têm grande sucesso com este conceito. É o caso da “York House”, que tem muitos dos seus clientes a aderir ao BYOB. Segundo o seu director, José Mello Breyner, aparecem todos os meses entre 10 a 12 pessoas com garrafas para acompanhar o jantar. Uma participação que, segundo o mesmo, se deve ao facto do seu restaurante ter disponível este serviço há muito tempo: «Julgo que fomos dos primeiros a aderir ao BYOB, há cerca de 7 anos e também porque publicitámos muito na altura», frisou. Além disso, afirmou ainda: «o vinho é para nós um complemento para as nossas refeições, não queremos impedir ninguém de disfrutar de um bom jantar acompanhado por um bom vinho».
 
 

No “York House” este conceito é um sucesso
   Foto: ezimut.com
 
 
A ideia do BYOB resume-se em poder provar bons vinhos, muitas vezes exclusivos, em conjugação com uma excelente refeição. No entanto, pedem-se alguns cuidados por parte do cliente: que o vinho não exista no restaurante e seja paga uma taxa (razoável) pela despesa e pelo incómodo causados.

Do ponto de vista dos restaurantes, o BYOB é acima de tudo encarado como forma de fidelizar clientes e como um complemento dos pratos sugeridos na ementa. Assim, todos saem a ganhar.



Ficam alguns exemplos de restaurantes que aderiram e das respectivas “taxas de saca-rolhas”:

Porto e arredores: Shis (Porto) - €6 , Cafeína (Porto) - €5,  Ferrugem (Famalicão) - €5 , Restaurante Pedro Lemos - €7,5 Garrafa, Quarenta e 4 (Matosinhos) - €5
 
Centro: Arcadas (Coimbra) - €9

Lisboa e arredores:Associação Naval de Lisboa - 2€  , Clube dos Jornalistas - €5 - Eleven - €6 , York House - €3.5 , Tavares - €15, Salsa e Coentros - €0, Na Ordem com Luís Suspiro €0.

Sul: Eira do Mel - €0 (V.N. Bispo),  A Escola (Alcácer do Sal) - €0 , Luar de Janeiro (Évora) - €7.50.



 
« voltar

 

 
 
 
  Recuperar password
 
  Pesquisa
 
 
  Green Pages
 
 
  
 
  
 
 
 
 
 
 
 
[ Almaviva 1996 / € 492 5% ]             [ Ausone 1995 / € 1362 3% ]             [ Ausone 1998 / € 1757 20% ]             [ Beychevelle 1982 / € 808 1% ]             [ Cheval Blanc 1998 / € 2284 1% ]             [ ChevalBlanc 1990 / € 4404 7% ]             [ ChevalBlanc 1995 / € 1397 10% ]             [ Dominus 1994 / € 1412 8% ]             [ Figeac 1982 / € 1073 0% ]             [ Haut Brion 1996 / € 1145 8% ]             [ HautBrion 1989 / € 3318 6% ]             [ HautBrion 1998 / € 1549 6% ]             [ La Mission Haut Brion 1998 / € 911 2% ]             [ La Mondotte 1999 / € 2155 20% ]             [ Lafite Rothschild 1990 / € 1956 3% ]             [ LafiteRothschild 1989 / € 1610 2% ]             [ LafiteRothschild 1995 / € 1546 1% ]             [ LafiteRothschild 1996 / € 2255 6% ]             [ LafiteRothschild 1999 / € 1405 9% ]             [ Lafleur 1998 / € 1976 4% ]             [ Latour 1990 / € 3455 1% ]             [ Latour 1995 /€ 1607 3% ]             [ Latour 1996 / € 1855 10% ]             [ Le Pin 1986 /€ 5731 4% ]             [ Le Pin 1990 / € 7472 11% ]             [ Le Pin 1996 / € 4029 7% ]             [ Le Pin 1997 / € 2840 1% ]             [ l'Eglise Clinet 1998 / € 2296 9% ]             [ Leoville Barton 1990 / € 808 1% ]             [ LeovilleLasCases 1982 / € 2108 1% ]             [ LeovilleLasCases 1990 / € 1259 2% ]             [ LeovillePoyferre 1995 / € 322 5% ]             [ Lynch Bages 1989 / € 1253 1% ]             [ LynchBages 1990 / € 1136 9% ]             [ Margaux 1982 / € 3924 3% ]             [ Margaux 1986 / € 2547 7% ]             [ Margaux 1995 / € 2050 4% ]             [ Margaux 1996 / € 2436 8% ]             [ Monbousquet 1999 / € 454 3% ]             [ Montrose 1990 / € 1941 7% ]             [ Montrose 1996 / € 472 2% ]             [ Mouton Rothschild 1986 / € 2905 3% ]             [ Mouton Rothschild 1989 / € 1640 5% ]             [ Mouton Rothschild 1990 / € 1464 4% ]             [ Mouton Rothschild 1999 / € 1039 8% ]             [ Opus One 1995 / € 1651 14% ]             [ Ornellaia 1996 / € 468 3% ]             [ Palmer 1990 / € 827 2% ]             [ PavieMacquin 1998 / € 632 1% ]             [ PavieMacquin 1999 / € 458 3% ]             [ Penfolds Bin 707 1996 / € 433 1% ]             [ Penfolds Grange Hermitage 1995 / € 1485 1% ]             [ Petrus 1975 / € 7115 16% ]             [ Petrus 1990 / € 9370 9% ]             [ PichonLalande 1995 / € 799 9% ]             [ Quinault L'Enclos 1999 / € 382 13% ]             [ Sassicaia 1996 / € 972 14% ]             [ Sassicaia 1998 / € 1405 20% ]             [ Solaia 1997 / € 2284 8% ]             [ Trotanoy 1995 / € 796 10% ]             [ Valandraud 1999 / € 1932 4% ]             
Cursos Vinho.Tv | Tabela de Publicidade | Podcasts | Contactos | RSS | Termos e Condições | Politica de Privacidade | Equipa Técnica | Mapa do Site | 1º Encontro e Prova Internacional de vinhos | Classificados
Copyright © 2009 Maria João de Almeida. Todos os direitos reservados produced by IMG | powered by miscode